Entenda o retorno de investimento da energia solar

Entenda o retorno de investimento da energia solar

Modelos alternativos de geração de eletricidade estão ganhando cada vez mais espaço, seja pela evolução desse mercado ou pelo alto custo para manter o modelo tradicional. E quando falamos sobre a instalação de sistemas fotovoltaicos, o retorno de investimento da energia solar é um atrativo.

Se antes esse tipo de aplicação era visto com incertezas, atualmente é uma realidade. De acordo com a projeção da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a geração distribuída solar— produção de energia no mesmo local de consumo — será capaz de trazer R$13,3 bilhões em benefícios para a sociedade até 2035.

A queda no valor da conta de luz, a criação de uma cultura sustentável e a tranquilidade em relação às tarifas e bandeiras de cobrança são algumas das vantagens. Quer saber mais sobre o assunto? Confira o conteúdo completo!

Como funciona o retorno de investimento da energia solar

Esse é um dos pontos de atenção: o retorno de investimento da energia solar. Isso porque muitos empreendedores possuem dúvidas sobre o assunto e a rentabilidade.

É preciso saber que existem diversas formas de comprovar a devolução do aporte. Nos casos em que a tecnologia é financiada, o retorno costuma variar entre 5 e 6 anos, dependendo da quantidade de prestações.

Em alguns casos, a depender do gasto mensal de energia, a quantia destinada para quitar as parcelas será similar à queda do preço apresentado na conta.

Ou seja, passa a ser perceptível a redução dos valores e o pagamento mínimo das tarifas, levando em consideração a taxa cobrada pela concessionária, que avalia o tipo de cliente e a bandeira tarifária.

Após a quitação do financiamento, a fatura de luz continuará com baixo valor, comprovando o retorno de investimento da energia solar.

Essa redução ocorre graças ao sistema de compensação de energia disponível nas instalações on grid — quando existe conexão com a rede da distribuidora. Depois da instalação, toda vez que a geração de energia for superior ao consumo, você acumula créditos, que podem ser usados em até 60 meses.

Nos períodos em que o uso ultrapassar a produção, é possível utilizar os créditos de energia solar acumulados. Também é permitido transferir estes quilowatts-hora (ou uma parte deles, de acordo com as regras da concessionária local) para outro imóvel registrado no mesmo CPF.

Caso contrário, será necessário pagar a quantia excedente para a concessionária. Mas observe que mesmo quando isso ocorre, o valor pago é muito inferior, ou seja, é mais vantajoso do que pagar por todo o consumo.

Para compreender como o sistema de energia solar pode fazer a diferença no fim do mês, acompanhe o exemplo na tabela a seguir:

Mês  Consumo
(kWh)
 Injetado
(kWh)
 Crédito acumulado
(kWh)
 Fatura s/ energia solar
(R$)
 Fatura c/ energia solar
(R$)
 Diferença
 Janeiro  330  353  23  R$ 168,30  R$ 51,00 R$ 117,30
 Fevereiro  360  360  23  R$ 183,60  R$ 51,00  R$ 132,60
 Março  460  335  0  R$ 234,60 R$ 52,02  R$ 182,58

Acompanhe um exemplo de como o cálculo é feito:

Consumo (kWh) – Energia injetada na rede (kWh) – Créditos acumulados(kWh) x Taxa da tarifa* = Valor da conta de luz

Exemplo
(460kWh – 335kWh – 23kWh) x 0,51 = R$ 52,02

*A taxa da tarifa muda de acordo com a concessionária de energia, verifique qual o valor exato na sua região.

Nos casos em que a geração de energia pelo sistema fotovoltaico for menor do que o consumo, os créditos gerados nos meses anteriores podem ser usados para compensar a diferença.

Veja também o vídeo: Entenda como funciona a compensação de energia elétrica

Conseguiu imaginar como essa solução pode fazer a diferença, não é mesmo? Levando em consideração os dados acima, uma fatura que seria de R$234,60 passa a ser R$ 52,02 por causa da produção de energia e armazenamento de créditos.

É importante lembrar que existem diversas linhas de crédito disponíveis para contribuir com a aquisição. Esse tipo de incentivo foi criado para estimular o uso desse recurso sustentável.

Nos casos em que a empresa opta por realizar o pagamento à vista, o retorno já começa a aparecer logo nos primeiros meses com a redução da conta de luz.
Está com alguma dúvida? Quer saber mais sobre o assunto? Então aproveite para conferir o Guia do consumidor: 15 perguntas e respostas sobre energia solar.

Vantagens da energia solar para empresas

Agora que foi possível comprovar o retorno de investimento da energia solar, basta compreender quais são as vantagens de aderir a solução.
Vale ressaltar que essa é uma solução limpa, renovável e sustentável. Além disso, contribui com:

  • Economia significativa, reduzindo em até 95% as despesas com a conta de luz;
  • Contribui com a cultura de sustentabilidade, já que não polui e não agride o meio ambiente;
  • Mais autonomia na geração e uso de energia, sem precisar se preocupar com quedas ou ausência de luz;
  • Fácil acesso às linhas de crédito para aquisição e instalação do projeto, além da valorização do imóvel/empresa;
  • Retorno de investimento da energia solar em alguns meses;
  • Baixo custo de manutenção dos painéis solares, necessitando de limpezas periódicas, além da durabilidade dos equipamentos.

O uso de energias renováveis é o futuro, portanto, é uma boa ideia começar a pensar em como a sua empresa irá se preparar. Faça agora uma simulação com a Intelbras e descubra o quanto o seu negócio pode economizar.